Chapada Diamantina

 

A cadeia de montanhas com paisagens fascinantes que corta o estado brasileiro da bahia é a chamada Chapada Diamantina. Uma extraordinária variedade de ecossistemas, sua maior montanha mede 180 metros, toda a serra é maior do que Israel. O parque nacional da Chapada Diamantina está localizada em um lugar privilegiado e é uma jóia do ecoturismo. O parque foi criado em 1985 e desempenhou um papel fundamental no crescimento de diamantes na história do Brasil. A paisagem da chapada é uma criação do processo de erosão que a região sofreu no início do período pré-cambriano, formando torres de minerais conhecidos como "tepuy", nome dado pelos índios locais que dominaram a área.

Algumas cidades cresceram na Chapada com a influência desses minerais; a área foi usada como refúgio para os caçadores de pedras preciosas. Lençois, cidade situada a 400Km de Salvador, é a principal cidade do parque e portanto a principal porta de entrada. No início do século XX o Brasil foi o primeiro produtor mundial de diamante. Porém, com a descoberta de diamantes na África do Sul, algumas cidades decaíram e outras até se tornaram cidades fantasma, a exemplo da extinta Igatu. Com muitas ruínas das velhas casas, Igatu traz lindas lembranças da época dos diamantes e por esse motivo se tornou um importante monumento histórico nacional. Cidades como Mucugê e Lençóis tem uma excelente representação da arquitetura colonial e portanto são também  importantes monumentos históricos nacionais.

 

Em busca de riqueza de diamantes, muitas trilhas forma abertas por "garimpeiros". Agora os turistas usam muito essas trilhas para fazer caminhadas e trekking. A Chapada é fascinante, cheia de cavernas e rios subterrâneos. Quando o rio deixa a parte subterrânea e vem á terra, a gruta da Pratinha é scarped. Com características calcárias na caverna, a água cristalina, quando tocada pelos raios solares, fica com um tom prateado, que dá nome ao rio. O morro do Pai Inácio é um lugar ótimo onde um pôr do sol deslumbrante pode ser visto. Há uma lenda que diz que o morro recebeu o nome de um escravo que se atirou no abismo quando seu coronel o perseguiu, por ser apaixonado por sua esposa.

 


Equivalente a 112 andares de um edifício, a Cachoeira da Fumaça parece fumaça quando olhada à distância. Isso acontece porque o volume de água não é suficiente para superar a queda de 380 metros e os ventos constantes travam as gotas de água que caem e jogam de volta, formando uma cortina de névoa. A beleza azul brilhante da água do poço encantando é tão transparente que às vezes é difícil identificar o topo refletido na água do fundo do lago. Dependendo da época do ano, a luz direta do sol ilumina o lago através de um orifício natural na parede da caverna. O sol da tarde chega até a caverna - uma pequena piscina azul escondida sob um pedaço de rocha - dando a ela um tom azul elétrico, resultando em uma vista belíssima. Não é permitido nadar para minimizar o impacto ambiental.

O rio Ribeirão flui em um vale profundo  de arenito e cai rapidamente através de um estreito desfiladeiro rochoso, formando espetaculares cachoeiras e cascatas, como as Cataratas do Sossego, a última série de quedas. A natureza tem cavado alguns buracos, com água cristalina, na superfície da rocha do rio Serrano, a apenas 15 miutos da periferia da cidade. Acima do Poço Halley, a cachoeira primavera é um leito de rio com pedras lisas e esculpidas pela água e bem decoradas. Muitas trilhas para as cavernas, montanhas e cachoeiras serão descobertas com os melhores guias da região.

Um rio subterrâneo forma uma enorme caverna, Lapa Doce, com um sistema de túnel de 23Km de extensão e 15-20 metros de altura. Grandes peixes e plantas aquáticas podem ser admirados em um lago de tamanho razoável formado por um rio subeterrâneo. Os minutos gastos nesse cenário mágico repleto de uma fauna única em profundos lagos estreitos serão inesquecíveis.